O perigo da libertinagem

  • 20/06/2020
  • 0 Comentário(s)

O perigo da libertinagem

A libertinagem representa o contrário do perfeccionismo. É a “dissolução”, onde tudo é permitido, e terá efeito total no reino do Anticristo.

“Se vocês me amam, obedecerão aos meus mandamentos.” (João 14.15)


Você sabe o que é a “libertinagem”? A palavra “libertinagem” originou-se do latim libertas (“liberdade”). A libertinagem representa o contrário do perfeccionismo. Na prática, a libertinagem pode ser substituída por “dissolução”. Tudo é permitido. O teólogo Dietrich Bonhoeffer fala de uma “graça barata” representada pela libertinagem.[1] Afirma-se que o cristão pode viver como bem entender, pois ele tem a graça à sua disposição. “Faça o que você quiser, seja essa a sua regra” era também o lema do satanista Aleister Crowley. A libertinagem representa a anulação de todos os valores e mandamentos divinos no presente.

Jesus, no entanto, diz: “Se vocês me amam, obedecerão aos meus mandamentos” (João 14.15). Esse é um fruto possível da fé. O apóstolo Paulo não era contrário à lei em si, mas ele apenas não queria que a lei fosse entendida como o caminho da salvação. Em Romanos 13 ele descreve os efeitos que a fé tem por meio da obediência: “Não devam nada a ninguém, a não ser o amor de uns pelos outros, pois aquele que ama seu próximo tem cumprido a Lei. O amor não pratica o mal contra o próximo. Portanto, o amor é o cumprimento da Lei” (v. 8,10).

Assim, sem os mandamentos não há amor divino. Seria uma interpretação arbitrária e, em suma, sedução. A libertinagem terá efeito total no reino do Anticristo. Não devemos utilizá-la para acobertar nossa maldade, senão haverá um despertar amargo! Ao invés disso, sigamos a Jesus Cristo em amor e fidelidade pelo caminho estreito que conduz ao céu.

Lothar Gassmann



0 Comentários


Deixe seu comentário


Aplicativos


No ar Agora

AutoDJ

Playlist

Anunciantes