Piora a situação dos cristãos no Burundi

Centenas de fieis já morreram em ataques e milhares tiveram que fugir do país; há anos que a igreja tem sido observada pelo governo burundiano

A igreja no Burundi tem passado por momentos complicados. A crise no pequeno país africano, que fica entre Ruanda, Tanzânia e a República Democrática do Congo, tem afetado os cristãos de forma violenta. Centenas de fieis já morreram em ataques e milhares tiveram que fugir do país. Há anos que a igreja tem sido observada pelo governo burundiano, que continua impondo certas restrições para que os líderes cristãos não consigam legalizar os templos já existentes em várias regiões. Os conflitos entre igreja e Estado só aumentam ao longo dos anos.

Recentemente, o Conselho de Segurança da ONU aprovou uma resolução que pretende enviar soldados que atuarão no Burundi, a fim de combater essa onda de violência que tem afetado até mesmo os direitos humanos da nação, mas é difícil imaginar que pouco mais de 200 soldados revertam a violência no Burundi e que ainda consigam amenizar os problemas dos cristãos. Quanto maior a instabilidade no país, maior a perseguição religiosa. O Burundi já esteve presente em importantes reuniões organizadas entre os países da África, como o "Diálogo Inter-religioso para a paz e segurança na região dos Grandes Lagos", a fim de discutir sobre as tensões enfrentadas por essas nações, mas até agora os diálogos apenas traçaram as estratégias, mas não mudaram o rumo das coisas e nem curaram os males da sociedade.

Essa região africana sofre com a pobreza e com os problemas políticos, além de ser atacada pelo grupo extremista islâmico Al-Shabaab. Lembrando que esses ataques quase sempre são dirigidos aos cristãos, que são o foco principal do grupo. Ore por essa nação.

Fonte: Portas Abertas
Categoria:MUNDO

Deixe seu Comentário